sexta-feira, 20 de abril de 2012

Hiato

a folha
em branco
representa a infinitude que na ausência
apresenta o universo e o
nada
e tudo e lágrima
e verso: o
ócio tédio do dedo trágico
da boca efêmera 
dos olhos plásticos
do estômago íntimo da cabeça vítima 
do ego bêbado 
da esperança tímida das vidas de 
reticências. do ócio reticências 
do dedo vítima 
da boca trágica dos olhos íntimos 
do estômago tédio 
da cabeça efêmera do ego tímido
da esperança
bêbada 
das vidas de plástico. do
ócio íntimo do dedo tímido 
da boca plástica dos olhos vítima
do estômago 
fudido 
da cabeça
bêbada 
do ego 
trágico 
da esperança 
efêmera das vidas de tédio,
que estupram as folhas e evitam 
reticências. talento 
não é sinônimo de
frequência. se 
for pra escrever, 
faça-o como suicídio: mais vale a ausência 
que a ineficiência e o 
desperdício.
Ocorreu um erro neste gadget