segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Devaneio bonito

o riso é o predicado da tristeza, a companhia é
a véspera da solidão; enquanto a
garrafa é a resposta que dispensa todas as
perguntas, o verso é
o manifesto da insatisfação. à
garrafa que me enche e esvazia, à boca que vomita e me
cala, ao coração que persiste em
pulsar, aos olhos que nunca olharam os 
teus olhos; ao acaso,
esperança, compatibilidade, semelhança,
pieguice, espontaneidade, ao intangível e bonito devaneio e
à ilusão: escrevo em
vão.

acordei com gosto de ontem na
boca, abri a janela e vi o sol
se por.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Noite de dia das crianças

é noite de dia das
crianças, mas ambos - eu e a
noite - não somos mais
crianças. somos jovens bêbados
e entediados, que pouco pensam no futuro, se esqueceram do
passado e não ganharão
presentes, pois ambos - a noite e
eu - não somos mais crianças, e nossa
inocência foi
estuprada.
Ocorreu um erro neste gadget