quinta-feira, 30 de junho de 2011

Cronofobia

minhas espinhas estão sumindo, as paredes do
meu
quarto mudaram de cor, e eu não escrevo tanto quanto costumava
escrever. tempo. tempo: transforma depois em
antes, certeza em dúvida,
saudade em
esquecimento. transforma amor em nada e nada em
amor, com a mesma displicência. tempo é blasé, é cruel, é
irrestituível. tempo é foda, e eu me sinto
mais finito, e paranóico a cada tiquetaquear
do relógio, pois a
vida, o guarda-roupa, o pó, a pinga e o
tempo, seguirão,
sem perder tempo  
comigo.

4 comentários:

  1. Se tu queres que eu não chore mais...
    Diga ao tempo que não passe mais...

    ResponderExcluir
  2. Chora o tempo o mesmo pranto meu,
    ele e eu,
    tanto.

    ResponderExcluir
  3. O tempo passa por mim dilacerando partes do meu corpo, me matando aos poucos. E eu finjo não perceber.

    ResponderExcluir
  4. Gostei mesmo do seu blog. Estou seguindo.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget